CoronavírusNotíciasVilabela News

Transporte Clandestino segue circulando sem fiscalização no interior de Pernambuco

Em meio a pandemia do novo coronavírus, ainda é possível encontrar ônibus circulando sem autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT, para transportar passageiros em inúmeros municípios do nordeste. Em algumas regiões, apreensões seguem ocorrendo quase que diariamente, porém, em outros municípios, a falta de fiscalização deixa moradores apreensivos com a chegada cada vez mais de ônibus trazendo pessoas de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Nos últimos dias, alguns ônibus sem autorização para o transporte, como informaram moradores, passaram desembarcar passageiros no município de Águas Belas, sem nenhuma fiscalização da Vigilância Sanitária e ANTT.]

Os moradores relatam em redes sociais e também em grupos de mensagens por aplicativo, que sentem medo de contrair a Covid-19, pois estão realizando o isolamento social e o distanciamento, como determina o Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde – OMS, mas que seguem apreensivos com a chegada de mais pessoas, já que o período de encubação do vírus é de até 15 dias, podendo essas pessoas, acabarem transmitindo a Covid-19 de forma voluntária, já que muitos não apresentam sintoma, mas seguem transmitindo a doença.

Até a última quinta-feira (14), o município de Águas Claras, registrava 22 novos casos confirmados da Covid-19, uma das cidades com maior número de casos em Pernambuco, sendo a maior na Região do Agreste.

A Prefeitura de Água Claras ainda não se manifestou sobre o assunto.

Após tomar conhecimento de que veículos de transporte clandestino estão sendo utilizados para o deslocamento de pessoas entre as localidades de Belém do São Francisco, Betânia, Custódia, Flores, Floresta, Mirandiba, Petrolândia, São José do Belmonte, Serra Talhada, Tacaratu e Triunfo, os promotores de Justiça que atuam na região expediram uma recomendação conjunta para que os governos municipais, Detran e Polícias Civil e Militar reforcem o trabalho de fiscalização.

Com informações do Portal Agreste em Notícias

Deixe seu comentário