Renda per capita cai e Brasil tem mais de 4 milhões na faixa da pobreza

Cerca de 4,1 milhões de pessoas entraram na faixa da pobreza no Brasil e dessas, 1,4 milhão ingressaram na extrema pobreza. Os dados, relativos ao ano de 2015, foram divulgados no Radar IDHM. O documento é organizado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e a Fundação João Pinheiro.

Segundo o relatório, são consideradas pobres as pessoas com renda domiciliar mensal per capita inferior a um quarto de salário mínimo e extremamente pobres aquelas que vivem com renda domiciliar per capita inferior a R$ 70. Os valores tomam como referência o salário mínimo em vigor no ano de 2010, data do último censo do IBGE, equivalente a R$ 510.

O documento alerta para os indicadores nacionais relativos à pobreza, renda e emprego e aponta que a renda per capita da população brasileira também diminuiu. O índice, que era de R$ 803,36 em 2014, passou para R$ 746,84 em 2015.

Desde 2000 até 2014, o crescimento da renda domiciliar per capita no Brasil foi acompanhado pela redução da proporção de pessoas vulneráveis à pobreza. No entanto, em 2015, aconteceu o contrário: a renda encolheu R$ 56,5 e a proporção de vulneráveis à pobreza aumentou 2,2%. São consideradas vulneráveis pessoas com renda domiciliar per capita inferior a meio salário mínimo de 2010.

“Esses dados alertam para a necessidade as políticas públicas voltadas ao crescimento do emprego e da renda, sem deixar de lado o combate à desigualdade”, afirma o documento.

O relatório tem como base a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), divulgada anualmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).



Deixe uma resposta