Sport arranca a classificação contra o Santa e está na final da Copa do NE

Todos os ingredientes estiveram no caldeirão do Arruda nesta quarta-feira (3). Desde os mais saborosos, como lances de técnica e gols, até os mais amargos, como brigas e provocações. No final, a emocionante classificação do Sport, que aplicou os 2×0 diante do Santa Cruz, que carimbaram o passaporte do time para a grande final da Copa do Nordeste 2017, contra o Bahia, que eliminou o Vitória na outra semifinal, em outro clássico local. O gol histórico da classificação foi marcado pelo tão criticado André, aos 32 minutos do segundo tempo, para delírio dos rubro-negros presentes na casa tricolor.

Provocações à parte, o jogo foi tenso também dentro de campo. Não tanto pelas jogadas ríspidas, mas pelos lances de perigo para os dois times. Tirando como lição a retranca extrema armada contra o Salgueiro, o Santa Cruz entrou com uma postura menos defensiva, não deixando de atacar o adversário. No Leão, Ney Franco repetiu o esquema com três volantes, apostando na dupla Rithely/Diego Souza para furar o bloqueio coral. Com poucos minutos, André arriscou de fora e fez Júlio César trabalhar.

Mas, aos 15 minutos, um duro golpe nas esperanças dos visitantes. Com dores na coxa direita, Diego Souza caiu no gramado e pediu a substituição. Por ironia dos deuses da bola, Everton Felipe entrou no seu lugar e um minuto depois aproveitou cruzamento rasteiro para abrir o placar: 1×0.

O gol teve efeito reverso no Sport, que recuou. Em evolução, o Tricolor chegou próximo do gol com Thomas, melhor em campo, com Durval salvando em cima da linha. Aos 37, a melhor chance. Em boa defesa, Magrão deu rebote e a bola caiu no pé de Pereira, que tinha apenas o trabalho para empurrar para o gol, mas furou e perdeu oportunidade incrível.

Na etapa final, o jogo continuou equilibrado. Mas, a partir dos 23 minutos a coisa esquentou. Ou melhor, começou a ferver. Em lance polêmico, Rithely foi acusado de agressão e a confusão se instalou. No final, Rithely e Elicarlos expulsos. E aos 32 o caos se instalou. Após rebatida da zaga coral, André marcou o gol da classificação leonina.

Ainda no banco de reservas, Rithely saiu para comemorar provocando os rivais e gerou revolta dos tricolores. Confusão generalizada não só no campo, mas também nas arquibancadas. No final, apenas o reserva Evandro foi expulso. Desequilibrado, o Santa Cruz não conseguiu reagir, com Wellington Cezar ainda sendo expulso após falta dura em André.

Da FolhaPE



Deixe uma resposta