Resgate técnico e imposição são primeiras metas de Márcio Goiano no Náutico

Márcio Goiano comandou o primeiro treinamento na última terça-feira (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

 

 

 

 

 

 

 

Um dia de trabalho e as primeiras metas traçadas. Depois de estudar o Náutico, o técnico Márcio Goiano já sabe onde precisa atacar para mudar a fase do clube na Série C do Campeonato Brasileiro. O Timbu é o lanterna do Grupo A e o comandante foi contratado para não deixar o sonho do acesso para a Série B morrer. E para isso, quer montar um time em campo com uma característica diferente do que foi visto até agora. Se no Campeonato Pernambucano o Náutico era mais reativo, esperando mais na defesa para contra-atacar, agora a ideia é que tenha uma imposição de jogo maior.

– Tive a oportunidade de ver o Náutico porque poderíamos ter um confronto contra o Náutico na Copa do Brasil. Cada técnico tem sua filosofia. Roberto tem uma, Dudu tem outra… Eu tenho um pensamento sobre postura em campo que se a gente adotar uma postura muito defensiva está próximo da derrota. Temos que ter equilíbrio com respeito ao adversário, mas em campo temos que nos impor. Gosto de uma equipe organizada e se impondo o tempo todo.

Márcio Goiano se mostrou confiante com as peças que tem em mãos, mas ressaltou a necessidade de fazer um trabalho de resgate na parte técnica dos jogadores, que ainda não conseguiram repetir o bom desempenho mostrado no Campeonato Pernambucano.

& #8211; O mais importante é resgatar a parte técnica. Eu vejo muita qualidade individual no grupo e é importante ver o elenco assim.

Nas conversas que pretende ter com os jogadores na primeira semana de trabalho, Márcio Goiano vai atacar também de psicólogo para que eles entendam que a humildade deve ser o primeiro passo para a reviravolta.

– Temos que ter humildade de ver que não estamos bem. Nesse momento, se achar melhor que os outros, não vai conseguir os grandes objetivos.

Do Globo Esporte


Deixe uma resposta