NotíciasVilabela News

Recompensa para pistas sobre suspeito de apagar imagens

Depois de pedidos da família da menina Beatriz, assassinada aos 7 anos com 42 facadas dentro da escola particular onde estudava em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, a coordenação do Disque-Denúncia de Pernambuco incluiu o nome de Alisson Henrique de Carvalho Cunha, 40 anos, suspeito de ter apagado as filmagens que ajudariam a elucidar o crime, na lista de recompensa de R$ 10 mil para quem trouxer informações sobre o caso. Antes, o valor se restringia a informações relativas ao autor do crime, cuja autoria permanece desconhecida.

A prisão de Alisson foi decretada pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) no dia 12 de dezembro do ano passado. Para a polícia, o suspeito, que era funcionário da escola em que Beatriz estudava, cometeu o crime de obstrução de Justiça ao apagar vídeos que poderiam ajudar a elucidar o caso. Ele aparece em imagens do circuito de segurança do colégio captadas menos de um mês após o assassinato de Beatriz, entrando na sala onde eram armazenadas todas as filmagens das câmeras instaladas na escola.

No fim de dezembro de 2018, câmerasde uma residência em Petrolina flagraram um homem pintando cartazes e ocultando a foto de Alisson. A ação pode ter sido uma nova tentativa de atrapalhar as investigações.

Autor do crime
Em março de 2017, a Polícia Civil conseguiu imagens que revelam a face do suposto autor do crime. Para os investigadores, não há dúvidas de que o homem que aparece nas filmagens de câmeras de segurança de estabelecimentos próximos ao colégio é o autor do homicídio. No entanto, até hoje, depois de quatro delegados passarem pelo caso, o responsável não foi preso.

Como denunciar
Quem tiver informações sobre o paradeiro de Alisson Henrique de Carvalho Cunha ou sobre o autor do crime deve entrar em contato com o Disque-Denúncia Pernambuco por meio dos números (81) 9 8256-4545 ou (81) 3719-4545. A recompensa é de R$ 10 mil.

Deixe seu comentário