Proposta na mudança de vagas do Nordestão gera impasse com Náutico, Sport e Santa

A Copa do Nordeste vive um impasse para a sua próxima edição. Depois de haver uma aumento de participantes na disputa, existe um desejo de fazer com que a competição deixe de ter os atuais 20 clubes e volte a contar com 16. Nesse cenário, contudo, federações e clubes propuseram uma nova distribuição de vagas para os estados, onde Pernambuco perderia a terceira vaga direta para o torneio. Teria que disputar uma pré-Copa, no caso, para garanti-la.

Nesse cenário da nova fórmula, estariam garantidos os nove campeões estaduais mais os vices de Bahia, Pernambuco e Ceará com vagas diretas. Os outros quatro postos seriam decididos posteriormente em um mata- mata com outo equipes restantes. Seriam os seis vice-campeões das demais federações e os terceiros colocados da Bahia e de Pernambuco.

As tratativas geraram uma discordância de Náutico, Santa Cruz e Sport com as demais equipes responsáveis por opinar sobre os rumos do Nordestão. O Trio de Ferro não aceita a alteração. Nesta sexta-feira, após o sorteio que define as quartas de final da Copa do Nordeste, os representantes das agremiações devem ter uma nova rodada de negociação.

“Pernambuco sempre foi contra o aumento de 16 para 20 clubes. Mas fomos votos vencidos, e a competição ficou com 20. Todo ano proponho essa redução porque acho que inchou e estragou o campeonato. Esse ano, eles aceitaram a minha proposta de reduzir. Só que quiseram uma alteração na mudança para o regulamento, querendo diminuir vagas de alguns estados. Para a Bahia, não tem problema porque ela só tem dois times grandes. Em Pernambuco, temos três e o Salgueiro que sempre briga”, disse o presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho.

Essa proposta foi justamente o que colocou os times locais em lado oposto aos demais. “O regulamento da competição está previsto até 2022. Para haver uma mudança é preciso que tenha unanimidade e não há. Sport, Náutico e Santa Cruz são contra”, declarou Carvalho, que já propõe uma nova distribuição de vagas.

FPF sugere nova distribuição

Segundo Evandro Carvalho, o impasse estaria desfeito caso a Liga do Nordeste aceite o modelo proposto pela FPF. “Seriam três vagas para Pernambuco, duas vagas para Bahia, duas vagas para o Ceará, duas vagas para o Rio Grande do Nordeste e outras duas para Alagoas. Além disso, seria uma vaga para Maranhão, Paraíba e Sergipe. A 16ª vaga viria de acordo com a federação melhor ranqueada no ano dessas que ficariam com apenas uma vaga direta”, opinou.

 

Fonte: SuperEsportes PE



Deixe uma resposta