Novo golpe usa Gmail e Google Docs para enganar usuários

O Google alertou seus usuários nesta quinta-feira, 4, que tomem cuidado com um novo golpe que está circulando no Gmail e que afeta usuários do Google Docs, plataforma de compartilhamento e edição de textos. De acordo com as informações da empresa, um grande número de usuários alertou a companhia que suas contas de e-mail foram hackeadas após clicar em um convite para editar um texto na ferramenta da empresa.

Segundo relatos, um e-mail é enviado para usuários utilizando um nome conhecido do alvo — que está na lista de contatos do Gmail, por exemplo. Quando clicada, a mensagem falsa exige que o usuário informe usuário e senha de acesso ao Google. Assim, sem saber, ele fornece seus dados para um hacker que passa a ter acesso completo ao e-mail, contatos e outros documentos online, facilitando a propagação do golpe e criando um “efeito dominó”.

“É uma situação muito séria para quem está infectado porque as vítimas têm suas contas controladas por alguem mal-intencionado”, explicou o professor de segurança virtual da Tandon School of Engineering da Universidade de Nova York, Justin Cappos, à Reuters. Cappos disse que recebeu sete desses e-mails maliciosos em apenas três horas, em uma indicação de que hackers estavam usando um sistema automatizado para realizar os ataques.

Ele ainda afirmou que não sabe o objetivo do golpe, mas ressaltou que contas comprometidas podem ser usadas para redefinir senhas de contas de bancos online ou dar acesso a informações financeiras e pessoais sensíveis.

Para tranquilizar os usuários, o Google disse na quarta-feira que tomou medidas para proteger os usuários dos ataques, desativando contas ofensivas e removendo páginas mal-intencionadas cadastradas. “Tomamos as medidas necessárias para proteger os usuários contra um e-mail representando o Google Docs, e desabilitamos as contas que estavam fazendo isso”, disse um funcionário do Google, que não quis se identificar, ao site de tecnologia The Verge. “Removemos as páginas falsas e nosso time está trabalhando para prevenir que esse tipo de ação aconteça novamente.”

Com informações do Estadão.



Deixe uma resposta