Decisão tem três jogadores expulsos, empata com o Petrolina e está eliminado da Série A2

Semifinal no Artur Tavares foi marcada por confusão — Foto: Mavian Barbosa / GloboEsporte.com

 

 

 

A semifinal entre Decisão e Petrolina não ficou marcada pelos lances de gol ou emoção de uma partida decisiva. O empate por 1 a 1 classificou o time do Sertão, que venceu a ida por 4 a 2. Erê marcou para os donos da casa e Eduardo para o Tigre.

O Falcão precisava tirar a desvantagem e partiu para o ataque. O primeiro gol saiu aos 25 minutos da etapa inicial. Candinho cobrou a falta na área e Eduardo Erê desviou para as redes.

Cinco minutos depois a confusão começou. O lateral-direito Tássio, do Decisão, cometeu falta em cima de Douglas, do Petrolina. O árbitro José Woshington aplicou o vermelho direto e expulsou o lateral. Os jogadores do Decisão e a comissão técnica reclamaram com a arbitragem e foi preciso a intervenção da polícia para acalmar os ânimos. O técnico Paulo Júnior, do Decisão, também foi expulso por reclamação. O jogo ficou parado por mais de cinco minutos.

A bola voltou a rolar e a confusão também. Poucos minutos depois, Erê dividiu a bola com o zagueiro do Petrolina e cometeu a falta. Como ele já tinha amarelo, também foi expulso e começou a discutir com o árbitro. Mais uma vez foi preciso que a polícia entrasse em campo e o jogo novamente foi paralisado.

A partida não acalmou no segundo tempo. Mesmo com dois jogadores a menos, o Decisão tinha mais volume de jogo, que esbarrou na sólida defesa do Petrolina. Esgotada fisicamente, a defesa do Decisão marcou bobeira aos 29 da etapa final e deixou Eduardo livre na área. Ele tocou na saída de Lucas Peixe e empatou a partida. Ainda deu tempo para o atacante Luan ser expulso. O resultado classificou o Petrolina para a final, que agora espera o adversário.

Cenas lamentáveis

O pós-jogo passou longe de ser tranquilo. Os jogadores e a comissão técnica do Decisão foram para cima do quarteto de arbitragem. A polícia tentou acalmar os ânimos. O meia Anderson Felipe chegou a ser levado para a viatura da Polícia Militar e depois foi liberado. O árbitro José Woshigton foi conduzido pela polícia até a delegacia para prestar esclarecimentos. O volante Eduardo Erê fez um Boletim de Ocorrência (B.O) onde cita que foi agredido pelo árbitro.

 

Do Globo Esporte


Deixe uma resposta