De acordo com geólogos, minivulcão” de Maranguape no Ceará era apenas jato de água quente e vapor

O Fenômeno que gerou repercussão nas redes sociais e deixou os moradores curiosos, o jato de água e vapor quente registrado em uma área da Fundação Mata Atlântica Cearense, em Maranguape, foi ocasionado por corrente elétrica. A avaliação foi feita na tarde desta quinta-feira, 23, por geólogos da Universidade Federal do Ceará (UFC) que visitaram o local para investigar a suposta atividade vulcânica.

A “fonte de água quente”, a um metro da sede da Fundação, foi registrada na última quinta-feira, 16, e colaboradores da entidade chegaram a cogitar relação com eletricidade do local. No entanto, vídeo gravado por pessoas que não foram identificadas apontava o fenômeno como o “primeiro vulcão da Serra de Maranguape”, com calor suficiente até para cozinhar um ovo.

O doutor em Geociências e professor do departamento de Geologia da UFC, Christiano Magini, explica que o local possuía aterramento mal feito, com fio-terra acumulando água e também conduzindo energia. “Esse contato do fio com energia e água produz calor, fazendo entrar em ebulição. É um efeito artificial em função de uma estrutura antrópica [ação do homem sobre o ambiente]. Não requer alarme, não tem nada de risco geológico, de desastre ou risco de incêndio”, disse.

 



Deixe uma resposta