Dado Cavalcanti não resiste a série de quatro derrotas e deixa o Náutico

De maneira meteórica, chegou ao fim a segunda passagem do técnico Dado Cavalcanti pelo Náutico. O treinador não resistiu à quarta derrota seguida – contra o Guarani de Juazeiro, por 1 a 0, nesta quarta-feira, que culminou na eliminação na Copa do Brasil – e também ao clima interno pesado no clube nos últimos dias. Ele optou por entregar o cargo nos vestiários do Estádio Romeirão e se despediu dos atletas. Com Dado, saem seu auxiliar técnico, Wilton Bezerra, e o preparador físico, Fred Pozzebon. O clube já está no mercado em busca de outro comandante.

– Conversei com Eduardo Henriques e Italo (diretores de futebol). Foi em comum acordo. Não foi uma entrega de cargo. Foi um trato de cavalheiros em relação a tomada de decisão. Eu acho que o momento é adequado para isso. Abro mão da multa rescisória que tinha em contrato. É óbvio que os resultados motivaram isso. Eu nunca perdi quatro seguidas na minha vida – disse o treinador, logo após o jogo contra o Guarani de Juazeiro.

Dado Cavalcanti chegou ainda no final do ano passado. Participou de todo o planejamento e montagem de elenco ao lado da diretoria e o Náutico foi o primeiro clube dos três grandes da capital a se reapresentar, no dia 2 de janeiro. Segundo Dado Cavalcanti, a sequência de derrotas foi a maior responsável pela sua saída.

– Só a sequência. Não vamos criar nenhum outro bicho de sete cabeças e nem deixar hipóteses no ar. A situação de quatro derrotas traz um peso e uma responsabilidade muito grande. O peso, o desgaste, é grande. Você às vezes precisa podar uma árvore para ela florescer. E o galho a ser cortado foi o meu. Óbvio que eu não me acostumo, mas é do jogo, é do futebol. Eu esperava que a gente estivesse em uma situação melhor.

Apesar de começar a temporada com uma goleada de 4 a 0 sobre o Uniclinic- CE, os resultados começaram a jogar contra. E os primeiros questionamentos da diretoria apareceram, principalmente por uma falta de padrão de jogo da equipe.

Após a derrota para o Campinense-PB, no último domingo, o clima pesou. O meia Maylson fez duras críticas a algumas pessoas da comissão técnica e disse que quem não gostasse do trabalho dele, podiam mandá-lo embora. Nos bastidores, comenta-se que as palavras não foram para Dado, mas o comandante teve de gerir a crise. Mais tarde, ainda no hotel que a delegação estava hospedada, Maylson discutiu de maneira áspera com o então auxiliar técnico Wilton Bezerra e chegou ao ponto de jogar um prato nele. O elenco ficou incrédulo. O então treinador não aturou. Na hora, chegou a partir para cima do atleta, mas os jogadores afastaram Dado, Wilton e Maylson.

Um dia após a derrota para o Campinense, Dado Cavalcanti se reuniu com a diretoria para definir o que poderia acontecer com Maylson – que nem apareceu na academia para fazer o treino regenerativo – e, juntos, definiram pelo seu afastamento. Mas nesta reunião também houve cobranças. Apesar da diretoria manter o discurso de que iria segurar o treinador, Dado optou por entregar o cargo ainda nos vestiários do Estádio Romeirão.

Fonte: Globo Esporte



Deixe uma resposta