Com cenário desfavorável, Sport busca superação para conquistar Copa do Nordeste

& #8220;Nunca duvide do Sport”. Mais do que nunca, esse lema da torcida terá que entrar em campo nesta quarta-feira. Na maior final da história da Copa do Nordeste, contra o também gigante Bahia, na Arena Fonte Nova, desafios não faltam ao Leão em busca do quarto título da competição. A começar pela própria desvantagem na decisão. Após o empate por 1 a 1, no jogo de ida, na Ilha do Retiro, os rubro-negros só serão campeões em caso de vitória por qualquer placar ou empate a partir do 2 a 2. Resultados que o clube pernambucano não consegue em Salvador, contra Tricolor de Aço, desde 1989. Há 27 anos.

Além disso, com a maratona interminável de jogos (a decisão desta noite será a 36ª partida do Sport no ano), o técnico Ney Franco acumula problemas para a escalação da equipe. Além de seguir sem contar com o zagueiro Ronaldo Alves, ainda não liberado pelo departamento físico, e com o volante Rithely, suspenso, o treinador ainda perdeu no último domingo o lateral-direito Samuel Xavier, que ficará de fora do time por até três semanas devido a um estiramento muscular.
Sendo assim, o comandante leonino optou por uma formação mais cautelosa, e nunca testada, com três zagueiros (com o colombiano Henriquez sendo a novidade) , dois volantes e a presença de laterais que têm como ponto forte a marcação. Caso de Raul Prata, que assume a ala direita, e do chileno Mena, que retorna à ala esquerda.
Para completar o cenário desfavorável, o Sport chega à decisão pressionado pelos maus resultados recentes. Já são cinco jogos sem vitórias. Nas últimas dez partidas, a equipe soma apenas um triunfo (contra o Santa Cruz, na semifinal que classificou o Leão para o confronto desta noite). Retrospecto ruim que minou a confiança da torcida com relação ao trabalho de Ney Franco. Ao ponto de uma possível demissão do treinador não estar descartada em caso de um novo insucesso em Salvador.
“Temos noventa minutos para definir o título. Além da parte técnica e tática é preciso também montar uma estratégia nesse momento. Vamos procurar o gol, mas sem deixar a nossa defesa exposta. Sabemos que, se fizermos 1 a 0, o panorama do jogo muda completamente. Já passamos por isso no jogo contra o Santa Cruz, quando perdemos o jogo de ida. No segundo jogo, conseguimos equilibrar a força ofensiva e deixar a defesa protegida. Nesse jogo, não podemos ter a história do cobertor curto, cobrindo a cabeça e descobrindo os pés”, adiantou Ney Franco.
Se a isso for somado às tradicionais raça e a mística rubro-negra, as chances de título do Leão começam a crescer.

Ficha do jogo

Bahia
Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Armero; Edson e Renê Junior; Régis, Zé Rafael e Allione; Edigar Junior. Técnico: Guto Ferreira
Sport
Magrão; Matheus Ferraz, Henríquez e Durval; Raul Prata, Fabrício, Ronaldo e Mena; Diego Souza; André e Rogério. Técnico: Ney Franco.
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA). Horário: 21h45. Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL).Assistentes: Esdras Mariano de Albuquerque e Rondinelle dos Santos Tavares (ambos de AL).


Deixe uma resposta