Baixa produção: reforços do Sport para primeiro semestre rendem pouco

No início do ano, o Sport adotou uma postura clara para formar o time. Manteve a base de 2016 e decidiu reforçar posições carentes. Optou pela qualidade – em vez da quantidade. A ideia do Leão era ser cirúrgico. Para fazer isso, não poupou esforços, nem economizou dinheiro. O atacante André custou cerca de R$ 5 milhões, mais cara contratação da história do Rubro-Negro.

Ao todo, o Leão trouxe sete atletas para a primeira parte da temporada: Mena, Raul Prata, Rodrigo, André, Leandro Pereira, Marquinhos e Paulo Henrique. A conta desconsidera os que chegaram depois, como Osvaldo, Neris, Igor e Anselmo – estes não atuaram no Pernambucano, Nordestão e nas fases iniciais da Copa do Brasil e da Sul-Americana.



Deixe uma resposta