Ainda na lanterna, Náutico inicia semana de decisões pela Série B diante do Paraná

São apenas dois pontos conquistados. São necessárias pelos menos duas vitórias para que o Náutico saia da zona de rebaixamento da Série B – caso outros resultados ainda ajudem. Mas, nessa situação, é necessário dar um passo de cada vez. A primeira tentativa de acabar com esse jejum, portanto, acontece nesta terça-feira, quando o Alvirrubro recebe o Paraná na Arena de Pernambuco, às 19h30. Um duelo que tem importância decisiva em uma semana que pode ser fundamental para o futuro do clube.

Logo após enfrentar o Paraná, que soma seis pontos e está na 16ª posição, o Náutico visitará o Boa Esporte, 17º lugar, com cinco pontos. Dois adversários que também estão na zona de rebaixamento. Uma sequência em que somar pontos será mais do que necessário.
 
“Realmente, não podemos olhar a tabela. Sabemos que é incômoda a situação, mas temos que focar no próximo adversário. A minha preocupação é colocar em prática o nosso trabalho. Jogando bem e dando nosso melhor. Vamos entrar com tudo contra o Paraná, independentemente da situação”, prometeu o goleiro Tiago Cardoso.
 
Apesar do goleiro minimizar a importância dos dois próximos jogos, o Náutico deve tratá-los como verdadeiras decisões. Duas vitórias dão maiores chances de sair das últimas quatro posições e ainda seguraria os adversários diretos pela fuga do rebaixamento. Caso consiga a sequência, o Náutico seria o sexto time na Série B a somar seis pontos em partidas duas consecutivas.

Sem tempo para treino

Mais uma vez, o técnico Waldemar Lemos não conseguiu treinar com todo o elenco. A escalação será decididade com conversas. “Isso é complicado para o professor e para os atletas. Realmente é descanso. Não podemos correr o risco de perder jogadores nesse momento. Tem que ser o momento de superação. Temos que superar as viagens e, principalmente, os adversários”, comentou o goleiro do Timbu.
 
Sem Nirley e Darlan, expulsos contra o Internacional, o técnico pode promover as entradas de Rafael Ribeiro na zaga. Ele também tem a opção de escalar João Ananias ou Giovanni para a posição deixada por Darlan. 

Adversário

O Paraná chega ao Recife em um clima bem triste após a morte do meia Jonas Pessalli. O atleta havia sido contratado em janeiro e foi dispensado pelo clube na última semana. Pessalli bateu o carro contra o poste e morreu no local do acidente. Em campo, o time vem de uma sequência de quatro jogos sem vencer, incluindo um jogo na Copa do Brasil. É ainda a primeira equipe fora da zona de rebaixamento, ocupando a 16ª colocação.

Ficha do jogo

Náutico

Tiago Cardoso; David, Aislan, Rafael Ribeiro (Feliphe Gabriel) e Manoel; Amaral, Rodrigo Souza e Giovanni (Renan Paulino); Erick, Gerônimo e Vinícius. Técnico: Waldemar Lemos.

Paraná

Richard; Leandro Vilela, Rayan, Eduardo Brock e Assis; Jhony, Gabriel Dias, Matheus Carvalho e Guilherme Biteco; Robson e Felipe Alves. Técnico: Cristina de Souza.
 
Estádio: Arena de Pernambuco, em São Lourenço. Horário: 19h30. Árbitro: Marcelo Aparecido R de Souza (SP). Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho (SP) e Fábio Rogério Baesteiro (SP). Ingressos: R$ 20 (sócio e meia-entrada) e R$ 40 (inteira e visitante).


Deixe uma resposta